Guerrilheiro Virtual

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

JN censura Dilma e presidente do Peru, trocando por jabá de festival de música


Canal de TV de maior audiência da mídia corporativa peruana noticiou o encontro do presidente do Peru com a presidenta Dilma. Enquanto isso, no Brasil, a TV Globo dá mais um vexame jornalístico. O Jornal Nacional nem tocou no assunto, preferindo levar ao ar um jabaculê com interesses comerciais.


A TV Globo continua de costas para o Brasil e para o desenvolvimento da América do Sul. Na terça-feira a presidenta Dilma fez uma viagem ao Peru, essencial para a integração sul-americana, encontrando-se com o presidente Ollanta Humala, mas o "Jornal Nacional" não deu nem um pio sobre o assunto.

Humala quer importar programas sociais do Brasil como o Bolsa Família e o Farmácia Popular e está interessado na experiência brasileira de geração de empregos e proteção dos direitos trabalhistas. Temas para os quais a Globo costuma torcer o nariz. Políticas sociais de erradicação da pobreza e direitos dos trabalhadores costumam ser combatidos ferozmente nas linhas editoriais das organizações Globo. O pensamento reinante nas páginas do jornalão do grupo defende até um choque de aumento do desemprego como se fosse algum elixir milagroso do crescimento econômico. Foi esse mesmo pensamento que quebrou o Brasil três vezes no governo FHC e derrubou a economia brasilieira para a 13a. do mundo no fim do governo tucano. Felizmente Lula e Dilma recuperaram e elevaram para a sexta posição.

Mas o encontro Brasil-Peru foi muito além dos programas sociais. A principal pauta foi o desenvolvimento econômico de ambos os países através da integração sul-americana, com infra-estrutura de ferrovias, hidrovias, rodovias, redes de fibra óticas, além de trocas comerciais e cooperação técnológica.

Os números mostram que essa cooperação bilateral não é apenas discursos bonitos. Vem dando resultados robustos. A visita marcou os dez anos da Aliança Estratégica Brasil-Peru, que começou em 2003. O comércio bilateral cresceu quase seis vezes, passando de 650 milhões de dólares para 3,7 bilhões de dólares. Só nos primeiros meses deste ano, o crescimentio foi de 8,8% em relação ao ano passado. Como resultado dos acordos de 2003, a partir de janeiro de 2014, 85% dos produtos brasileiros terão imposto de importação zerado para entrar no Peru. O Brasil, por ter um parque industrial já consolidado e mais competitivo, zerou as tarifas de 98% dos produtos peruanos logo no primeiro ano de vigência do acordo.

Junto com a visita da presidenta, ocorreu o Foro Empresarial Brasil-Peru, reunindo 400 empresários dos dois países, para aproveitar oportunidades de investimentos mútuos. Assim como o Brasil tem o PAC, o presidente peruano tem projetos semelhantes de desenvolvimento petroquímico, energético, metrô, de ampliação de fronteira agrícola, de fibra ótica e de modernização de portos e aeroportos, entre outros.

Além disso o Peru é importador de muitos manufaturados brasileiros. O Brasil tornou-se seu terceiro parceiro comercial, ficando atrás apenas da China e dos EUA.

Outra decisão importante foi a eliminação das tarifas telefônicas de "roaming" internacional entre as cidades fronteiriças do lado do Acre e do lado peruano. Para a presidenta Dilma o acordo poderá servir de modelo para as nossas fronteiras em toda a América do Sul.

Com tudo isso, o JN preferiu esconder esta notícia do interesse de todos os brasileiros, e levar ao ar uma espécie de "jabaculê", ou seja, a divulgação comercial dentro do telejornal travestida de notícia, sobre as atrações anunciadas do festival de rock Lollapalooza que ocorrerá em São Paulo em abril de 2014.

Empresa de eventos da Globo fracassa e fecha as portas

Até agosto deste ano a empresa Geo Eventos é quem produzia este festival. Trata-se da empresa de eventos das Organizações Globo que entrou em crise, demitiu 40 pessoas pouco antes, em maio, e transferiu a produção do festival para a empresa T4f. Agora as organizações Globo comunicaram que a Geo Eventos fechará as portas no fim do ano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

”Sendo este um espaço democrático, os comentários aqui postados são de total responsabilidade dos seus emitentes, não representando necessariamente a opinião de seus editores. Nós, nos reservamos o direito de, dentro das limitações de tempo, resumir ou deletar os comentários que tiverem conteúdo contrário às normas éticas deste blog. Não será tolerado Insulto, difamação ou ataques pessoais. Os editores não se responsabilizam pelo conteúdo dos comentários dos leitores, mas adverte que, textos ofensivos à quem quer que seja, ou que contenham agressão, discriminação, palavrões, ou que de alguma forma incitem a violência, ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil, serão excluídos.”