Guerrilheiro Virtual

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O rolê da Dilma: Sisu, ProUni, FIES, Enem

Sem falar nos 5 milhões e 500 mil no Pronatec: tudo rolezando…
Nesta temporada 2013/2014, 11 milhões e 600 mil jovens brasileiros participaram das diversas modalidades de acesso ao ensino superior.

(Omitiram-se aqui os 5 milhões e 500 mil de inscrições no Pronatec, onde também rola um rolezinho legal.)

11 milhões e 500 mil jovens brasileiros no rolezinho da Dilma correspondem a 5,8% de TODA a população brasileira.

Dirão os aficcionados da “doença infantil da arruaça” que o Conversa Afiada pode ter cometido o crime da dupla contagem.

É provável.

Mas, ajuda a desmistificar a relevância desse rolezinho do PiG (*).

Para tratar desse rolê, o Conversa Afiada recorreu a informações do Ministério da Educação e do INEP:

SISU:

O número de inscritos do Sisu teve crescimento de 31% este ano.

Foi o maior em número de inscrições desde a criação do programa em 2010.

Foram 2.559.987 inscritos e 4.988.206 inscrições, já que cada candidato pôde fazer até duas opções de curso.

Os estudantes puderam optar entre mais de 4 mil cursos espalhados em 115 universidades e institutos federais, presentes em todos os Estados da federação.

PROUNI:

O ProUni bateu recorde de inscritos.

A primeira edição de 2014 (os estudantes ainda podem se inscrever no segundo semestre), o ProUni registrou 1.259.285 inscritos interessados em concorrer a bolsas de estudos em instituições particulares. De acordo com o balanço final, o número de inscrições chegou a 2.424.354— cada candidato pode fazer até duas opções de instituição e curso.

Neste primeiro semestre, o programa oferece 191,6 mil bolsas, sendo 131.636 bolsas integrais e 59.989 parciais, em 25,9 mil cursos. Isso significa crescimento de 18% na oferta em relação à primeira edição do ano passado

FIES:

O FIES não trabalha como “temporada’’ de inscrição.

Os contratos são firmados o ano todo.

Ano passado foram firmados 556,5 mil contratos (aumento de 47% com relação aos financiamentos cedidos em 2012). 

Desde de 2010, foram 1.173.455 financiamentos.

Do total de 1,17 milhão de contratos formalizados entre 2010 e 2013, o curso de Engenharia é o mais procurado, com mais de 198 mil contratos. Em seguida, Direito (178 mil contratos), Administração (98 mil), Enfermagem (84 mil) e Pedagogia (53 mil).

Em 2013, o Estado com o maior número de contratos firmados foi São Paulo (155 mil), seguido de Minas Gerais (61 mil), Bahia (40 mil) e Rio de Janeiro (36 mil).

Enem:

No Enem foram 7.173.790 de inscritos: cerca de 5,2 milhões fizeram a prova.

Que horror !


Fontes: MEC e INEP

Em tempo: o Conversa Afiada adiciona informações sobre o programa ‘Ciências Sem Fronteiras’, que também faz parte do rolê da Dilma:

O Governo já concedeu 44.094 bolsas de estudos para alunos brasileiros estudarem no exterior, de 2011 até setembro de 2013. (Veja aqui como foram distribuídas as bolsas e aqui para ver onde estão os bolsistas).

No  programa ‘Ciências Sem Fronteiras’, o Governo paga todos os custos da viagem, a mensalidade da universidade, o alojamento, a alimentação e também um curso para quem precisa melhorar o domínio do idioma do país onde está.

A meta do Governo é oferecer 101 mil bolsas do ‘Ciência sem Fronteiras’ até o fim de 2014.


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

”Sendo este um espaço democrático, os comentários aqui postados são de total responsabilidade dos seus emitentes, não representando necessariamente a opinião de seus editores. Nós, nos reservamos o direito de, dentro das limitações de tempo, resumir ou deletar os comentários que tiverem conteúdo contrário às normas éticas deste blog. Não será tolerado Insulto, difamação ou ataques pessoais. Os editores não se responsabilizam pelo conteúdo dos comentários dos leitores, mas adverte que, textos ofensivos à quem quer que seja, ou que contenham agressão, discriminação, palavrões, ou que de alguma forma incitem a violência, ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil, serão excluídos.”